Rebobine: Antes de planejar 2018, sinta 2017

Nessa época do ano, a gente tem essa mania boba de pensar em tudo o que não fizemos. Ficamos listando mentalmente tudo o que não realizamos, que deu errado, que não saiu do papel.

E a gente tem outra mania não tão boba assim de planejar essas mesmas coisas e outras para o próximo ano.

Planos de 2017 + Coisas que descobri que quero para 2018 = Lista Pronta

Eu quero te dar um perspectiva diferente para esse final de ano. E se resume em uma simples frase:

Antes de planejar 2018, sinta 2017

Faça uma pausa nos planos aí e veja se faz sentido minha sugestão.

Antes de olhar para frente, olhe para trás e sinta as mudanças

Nem tudo conseguimos alcançar esse ano, eu sei disso. Mas vamos olhar para trás com carinho e atenção. Sem julgamentos ou críticas e tapinhas nas costas. O que de fato aconteceu?

Teve surpresas boas ou ruins nesse caminho?
Coisas que saíram diferente do planejado, mas que olhando agora tiveram saldo positivo?

A ideia aqui não é passar a mão na cabeça, não? Mas avaliar de maneira sincera e justa os avanços e caminhos que tivemos em 2017. Sem se julgar, mas também percebendo os erros e os aprendizados que tivemos.

Eu, por exemplo, percebi que meu maior projeto de 2017 não aconteceu, meu curso para Inquietos, que será um continuação do livro de mesmo nome, foi planejado mas não executado. Daí eu posso pensar:

– Porra, o que eu fiz esse ano todo? Às vezes parece que não fiz nada do que deveria nesse ano.

Essa voz, essa conversa fiada. É exatamente esse tipo de mensagem que devemos cessar nesse momento. É nosso diálogo interno, a versão crítica dele que pensa de maneira linear, planejei isso e não fiz, logo fracassei. Ponto.

Mas, e as tantas outras coisas incríveis que se concretizaram. E outras que se mostram agora, depois de refletir sobre, um pequeno e modesto avanço para algo que será grande no futuro. É preciso estar consciente para perceber e ser grato por esses pequenos passos, é a construção da base de algo que só virá com o tempo e, claro, mais esforço.

E o motivo real do projeto não ter acontecido. Será mesmo que eu fiquei coçando e não fiz nada?

Claro que não. Trabalhei muito e fiz muitas coisas acontecer. E estando presente agora percebo que optei conscientemente para postergar esse projeto, pois sentia ainda que o negócio não estava pronto, que o público não estava 100% definido. Eu poderia ter feito, ter investido mais tempo. Poderia, mas não fiz.

Quem sabe não foi minha intuição ali me mandando sinais.

Depois de refletir sobre os ganhos e perdas, percebi que eu precisa de mais clareza para esse projeto e agora ele é prioridade em 2018.

Agora você:

Qual projeto chave você não fez em 2017 e está se cobrando agora por não ter feito? O que de fato aconteceu?

E se esse foi o ano que não aconteceu muito do que você queria no geral. Pare de resmungar pelos cantos e pergunte-se o por quê? Esse é o exato momento para isso.

Em quais projetos/objetivos eu fiquei só enrolando, e por quê?
O que de fato roubou minha atenção esse ano?

Novamente para não deixar erro. Não quero extremos: Se julgar achando que não fez nada ou mesmo passando a mão na cabeça dizendo que tá tudo bem…

Quero reflexão sincera e atenção. Quero detalhes, uma linha do tempo do antes e depois de cada projeto, abundância de detalhes. Quanto mais você se entregar para essas reflexões, mas resultados concretos terá. Mais ouvirá sua intuição.

E ter isso presente, te dará 2 grandes benefícios:

  • Entender o motivo inconsciente disso e equilibrar expectativas para 2018 e;
  • Ter um possível caminho de solução para superar qualquer obstáculo que te bloqueou nisso. Buscar ajuda, dar mais prioridade, etc.

É desconfortável remexer algo que não evoluímos, dá aquela sensação de impotência e desânimo. Mas vai por mim, há sempre uma intenção positiva inconsciente quando nos sabotamos. E remexer esses sentimentos e a causa disso tudo no leva a cura. E sempre podemos curar algo em nós mesmos para desbloquear os caminhos e seguir em busca do que queremos.

A vida não é encontrar a si mesmo. A vida é criar a si mesmo.
George Bernard Shaw

E, pronto. Essas são algumas perguntas que me fiz e te aconselho a fazer antes mesmo de escrever 2018 no seu caderno de metas.

Pense nessa movimento como uma fita de videocassete, lá dos tempos antigos. Depois de assistir o filme era preciso rebobinar para entregar na videolocadora, lembra disso?

Nessa etapa rebobinamos tudo o que aconteceu em 2017 e vamos sentindo e percebendo mudanças, sentimentos e o que mais vier. Só então, ciente de tudo o que vivemos, devolvemos e procuramos o próximo filme.

É prazeroso e libertador.

Olhar o passado, sentir o presente, vislumbrar o futuro

Quero te dar algo prático e guiado para você sentir 2017 e planejar 2018 com clareza. E por isso, nada melhor que um resumo em etapas para você se guiar nas descobertas, criar seu próximo ano mentalmente e já ficar pronto para correr atrás nos primeiros dias do ano.

Mas não tenha pressa em sair definindo metas e fazendo tarefas. Mais importante que velocidade é a direção.

Preocupe-se em estar na direção certa. Eu acredito que esse guia vai te ajudar a alinhar sua bússola interna para 2018.

1 – Olhe o passado com carinho e atenção

Leia novamente com calma o texto acima e a medida que for se identificando vai respondendo as perguntas em negrito com atenção e serenidade. Deixe sua intuição te guiar aqui. Nada de respostas rápidas sem emoção, automáticas e superficiais.

Dedique um tempo de verdade para isso e use sua intuição. Se entregue ao processo.

2 – Sinta o presente, avalie e seja grato

Fique consciente de toda essa balança, os momentos bons, o que poderia ter sido melhor. O que você alcançou ou mesmo nem chegou perto. Sinta tudo isso. Seja grato por tudo o que viveu e aprendeu, não só dos momentos bons e conquistas, mas dos erros e do aprendizado que teve.

Perceba como isso mudou você. Você é 365 dias mais experiente agora e se não parar agora esses minutos para consolidar todo esse aprendizado e experiência, de que vale já definir metas no modo automático. Não somos robôs.

Eu chamo isso de fechar o ciclo. Viveu, aprendeu, masterizou o aprendizado. E então, recomece.

3 – Visualize o futuro e defina suas metas

Agora sim, agora é hora de sentar e planejar nossas metas de 2018.

Com clareza de tudo o que aconteceu esse ano fica mais fácil definir prioridades e os caminhos que você deseja percorrer no ano seguinte. Onde precisava mais atitude, onde era necessário menos força e mais intuição, onde era preciso de ajuda externa.

Remova aquilo que não faz mais sentido na sua vida.

Adicione novos sonhos e conquistas para esse novo ano.

E se me permite a sugestão, pense nas 3 palavras abaixo, que representam o Movimento Crescimento Contínuo, para complementar seu novo ano:

Crescimento: Defina em quais áreas da sua vida é preciso crescer, evoluir, aprender mais. Livros, vídeos, cursos e o que mais tiver ao seu alcance para crescer em 2018;

Liberdade: Reflita como se sentir mais livre nesse próximo ano. Relações tóxicas, trabalho sem propósito, ambientes sem energia são exemplos de reflexões que podem gerar planos para o próximo ano.

Significado: Pense em sua vida a nível macro, olhando tudo de cima. Como você observa o significado de tudo que acontece. Há sentido, existe algo desalinhado. Seus passos em 2017 tiveram clareza e significado?

E agora a pergunta final: Seus planos para 2018 incluem uma vida com Crescimento, Liberdade e Significado?

É isso! Até nossa próxima conversa e conte comigo em 2018!

Alguns artigos para complementar sua reflexão:

Apelo aos inquietos: Um chamado para você que não assumiu o controle da sua vida

Alguns filmes, baseados em fatos reais, para chorar e ensinar a viver

7 vídeos TED Talks para você se inspirar para o novo ano

  • Daniele alencar

    Eu preciso de um UP para começar 2018, estou sem nenhuma animação para esse novo ano que está por vim.

    • Oi Daniele, esse já foi um grande passo. Comentar uma insatisfação com desejo de melhora futuro. Sugiro continuar nesse ritmo e olhar com carinho para 2017 vendo o que poderia ter sido melhor e planejar essa melhoria.

      Conte comigo.

      Abração!

      • Daniele alencar

        Preciso de animação Rui. Ultimamente ando passando por muitos problemas, preciso de força pra continuaresolver.

  • Manoel Lopes

    Excelente reflexão! Olhar o passado como aprendizado de erros e acertos, parar de reclamar e valorizar o presente (a vida) e teremos base para projetar o futuro ! Parabéns! Feliz 2018

    • Opa, Valeu Manoel. Fico feliz que tenha gostado. Feliz 2018 para nós…

      Abração!