Crenças limitantes: O que são, de onde vem e do que se alimentam

Vamos falar hoje sobre crenças limitantes. O que são, de onde vem e do que se alimentam. Me diz aí, o que você ACREDITA?

A verdade é que quando eu descobri o que eram crenças e como elas influenciavam a minha vida eu tive realmente um estalo.

Sabe o “cair a ficha“.

A famosa frase de Henry Ford, ilustra bem isso o que veremos aqui:

“Se você pensa que pode ou se você pensa que não pode, de qualquer forma, você tem toda a razão.”

Pensar que você pode fazer algo ou não está diretamente relacionado as suas crenças e, por consequência, aos seus comportamentos.

Fez uma grande diferença reconhecer e aceitar minhas crenças limitantes e saber que a minha mente influenciava as minhas ações e decisões diariamente.

Esse foi o verdadeiro estopim para eu descobrir minha inquietude e buscar a evolução.

Por isso, recomendo esse artigo para você Inquieto, indeciso…

Daqui o caminho segue agora com mais clareza e direção. Vem comigo descobrir e transformar suas crenças.

Eu quero dar um um embasamento sobre esse conceito e apresentar uma estratégia prática para você modificar suas crenças e começar a acreditar naquilo que acredita em você.

Neste artigo vamos trazer o seguinte:

  • O que são e como surgem as crenças limitantes;
  • Como elas limitam e influenciam nossas decisões;
  • Um técnica simples e intuitiva para mudar crenças.

Começamos então com a história do Cláudio…

A História de Cláudio

Cláudio aos olhos de Margarete é brilhante, um homem por completo. Alto, inteligente e esperto, muito esperto.

Cláudio tem ideias incríveis nas reuniões de projeto, mas é na sala do café que sai as coisas mais brilhantes que Margarete já ouviu. Os olhos brilham enquanto ela escuta sua voz.

Margarete se questiona como é possível Cláudio não ter uma posição de Gerente ou mesmo de líder na equipe. Ela conhece o modelo de crescimento da empresa, vive isso a 5 anos.

Intrigada ela um dia, sentindo ser o momento ideal, toma o resto do café em uma única virada – como quem toma um shot de whysky antes de conversar com alguém na balada – e vai em direção ao Cláudio.

Ao questionar Cláudio, revela-se depois de umas palavras iniciais a seguinte frase:

– Eu já recebi várias ofertas Marga, mas realmente não estou interessado. Eu prefiro ficar na parte criativa e não sucumbir na burocracia.

Marga se sentia frustrada pelas atitudes de Claudio. Como pode ser tão brilhante e não aproveitar as oportunidades que a vida traz… Quisera ela ser assim tão inteligente e comunicativa quanto ele.

Marga era quietona, cabisbaixa, falava só quando expressamente necessário. Ela via no Claudio, seu grande amigo, alguém que ela jamais seria…

O que são Crenças Limitantes? De onde vem e do que se alimentam?

Crença é uma regra, um aprendizado. É, em geral, um generalização de um aprendizado. Algo que experimentei e marquei como uma verdade. Depois de aprendido, fica guardado na sua mente inconsciente.

Como você pode notar na definição, não tem relação com crenças religiosas. Você pode ter crenças de qualquer natureza, sobre o mundo, a vida, você e até sua religião. É algo seu e pode tanto te ajudar como limitar suas ações.

Depois de aprendido é automático, como um hábito. Você não fica pensando sobre suas crenças durante o café da manhã. Você se depara com novas experiências e pode ou não ativar gatilhos que tragam à tona essas verdades.

Ela fica lá escondida bem quentinha e confortável e quando aparece essa oportunidade ela se manifesta. A tua própria voz, como se fosse um pensamento.

Crenças são neutras. Nem boas nem ruins. O que as define são o efeito delas nos nossos comportamentos.

Crenças Limitantes

As famosas crenças limitantes são essas regras que de alguma forma limitam nossas ações.

Por exemplo: “Pessoas ricas são esnobes.”

Talvez você já tenha ouvido essa frase antes. Talvez até acredite nisso.

Crenças podem ser sobre o mundo, algo genérico como essa de cima ou:

“Pra subir na vida é preciso ser malandro.”

São Verdades Absolutas sobre a vida, o mundo como vivemos. E há também aquelas que acreditamos sobre nós mesmos:

  • Eu sou burro.
  • Eu não sou bom em Matemática.
  • Eu não faço nada direito.

Qual o impacto das crenças limitantes na minha vida?

O que muda de fato na minha vida sabendo disso. Vamos lá então. Antes de continuar anota aí então a ficha completa de uma crença:

O que são: regras que criamos sobre nós mesmos ou sobre a vida.
De onde vem: de experiências boas ou ruins.
Do que se alimentam: também de experiências que fortalecem a crença.

Para responder essa pergunta eu tenho um exemplo clássico de uma crença que me acompanhou no final da adolescência e na fase adulta. A crença era a seguinte:

– “Eu começo e não termino as coisas.”

Eu não sei como ela surgiu, em qual experiência. Parece uma frase besta e inofensiva. Mas sei o impacto que ela me causava.

Todo novo desafio, projeto ou meta ela estava lá. Sussurrando no meu ouvido.

– “Nem começa, você vai acabar desistindo.”

Era brochante…

Então como que você pensa que uma pessoa pode progredir na sua vida, sair da zona de conforto e realizar os seus sonhos, se ela recebe um comando desses na fase do projeto em que está mais motivada a agir?

Pensa no seu melhor amigo chegando para você e dizendo:

– “Isso não vai dar certo, nem tenta”

– “Você é uma besta. Não faz nada direito…”

Parece cruel, eu sei… Mas é exatamente assim que nos tratamos… Nosso crítico interno surge jogando nossas crenças limitantes na nossa cara, e aí não enxergamos mais nada, só o medo de errar novamente…

De onde vem as crenças?

As crenças surgem de experiências, da forma como interpretamos nossas experiências. Experiências ruins e até mesmo experiências neutras. O importante é a forma como eu interpreto a experiência e gravo isso em mim.

Olha por exemplo a crença que criei sobre começar e não terminar. Ela pode ter surgido de diversas formas:

Parei algum projeto importante por medo de errar (experiência ruim);
Parei algum projeto pois se tornou irrelevante (experiência neutra);
Parei algum projeto para focar em algo mais importante (experiência boa).

Criamos crenças a partir da nossa interpretação de experiências que vivemos. O que vemos, ouvimos e sentimos…

E isso é um ciclo. Experiências futuras podem fortalecer essa crença limitadora. Se eu desisto novamente fortaleço minha regra e na próxima vez sinto isso mais forte.

Elas se alimentam de novas experiências e se fortalecem a medida que agimos exatamente segundo a regra que criamos.

Isso é inconsciente e automático. Não ficamos presentes para isso no dia a dia.

Tipos de Crenças Limitantes

Podemos separar as crenças limitantes em 3 áreas para você perceber o poder que elas exercem sobre nós. Veja os exemplos de crenças de cada área:

Possibilidade

– Não é possível, para ninguém, ir a lua.

Capacidade

– Eu não tenho a capacidade de ir a lua.

Merecimento

– Eu não mereço ir a lua. Tem tantos outros caras aí melhores do que eu para isso.

Além de um exemplo simples para ficar bem claro, um exemplo da vida real que pode já ter pairado pertinho de você:

  • É impossível ser feliz, ter dinheiro e trabalhar no que amo.
  • Eu não consigo ser feliz, ter dinheiro e trabalhar no que amo.
  • Ser feliz, ter dinheiro e trabalhar no que amo não é para mim. Não são tão bom assim…

Pensa ainda, quantas vezes, você já não disse para si mesmo coisas assim.

Reprogramação de crenças limitantes

No livro Crenças, o Robert Dilts comenta:

“As crenças não se baseiam necessariamente numa estrutura lógica de ideais. Ao contrário, todos sabemos quão pouco elas reagem à lógica. Não se pode esperar que elas coincidam com a realidade.”

Se elas não se baseiam em lógica, nossa mente racional tem pouco efeito sobre nossas crenças e por isso precisamos trabalhar mais internamente, na nossa mente inconsciente. Lá que ela foi criada e lá que ela é alimentada.

Vamos modificar crenças criando uma conexão com o inconsciente.

Na prática então, como eliminar crenças limitantes e seguir em busca de mudanças sem limitações?

Vamos trabalhar com passos simples e bem definidos, porém, que precisam ser feitos com qualidade e atenção.

Não dá para mudar crenças ouvindo spotify enquanto se dirige pro trabalho…

É preciso presença e consistência.

Existem muitas técnicas de diferentes escolas do desenvolvimento humano. Aqui veremos uma simples, que não exige conhecimento prévio, formação, nem benção de nenhum monge tibetano.

Fique aberto para explorar outras formas de eliminar crenças no futuro. Alguns exemplos são EFT, sessões de coaching com PNL, Hipnose, e por aí vai.

A primeira maneira que utilizei e você pode começar hoje mesmo é o Princípio da Autossugestão (também citado no resumo do livro Pense e Enriqueça do Napoleon Hill).

No momento em que você se torna consciente, acalma a mente e começa a ouvir sua mente inconsciente, as verdades irão pipocar pra você.

O vídeo abaixo apresenta o conceito de autossugestão na prática para mudança de crenças. Assista e experimente…

As etapas para modificar crenças descritas no vídeo são:

1 – Identificar crenças limitantes;
2 – Transformar crenças limitadoras em crenças e fortalecedoras;
3 – Aplicar o princípio da Autossugestão em todas as suas novas crenças fortalecedoras.

A História de Cláudio continua

Na verdade Cláudio nunca parou para pensar, mas ele temia ser odiado pelos seus colegas de trabalho. Acreditava que se virasse chefe não poderia mais ficar na cozinha com seus colegas trocando experiências e as vezes até tirando uma onda do chefe do setor.

Ele achava que era por causa da burocracia, mas olhando para dentro viu que seu medo de progredir na empresa era uma crença de pertencimento. Tinha medo de virar outra pessoa e perder seus amigos do trabalho.

Já Margo, enxergava claramente as limitações de Cláudio, mas nunca parou para olhar para si e perceber a história que ela se contava todos os dias ao chegar no trabalho. Quando ela usar o vídeo acima para identificar suas crenças limitantes, irá sem dúvida identificar um crença de capacidade

O poder de uma crença

As crenças tem o poder de limitar ou impulsionar nossas ações e por isso dediquei essas linhas para descrever em detalhes como você pode mudar essa realidade. Se você sente uma inquietude aonde você está hoje, talvez um primeiro passo seja justamente aplicar a técnica de crenças em um momento só seu e refletir sobre o que rodeia sua vida.

A resposta para suas dúvidas, sua inquietude vem através do movimento. Seja um livro, uma prática como essa, um momento de reflexão só seu. Aproveite para viver esse momento de aprendizado e volte aqui para me contar sobre esse conteúdo.

Nos vemos no próximo artigo.

Leia Também

A Revolução dos Inquietos: Sobre o movimento silencioso dos que querem mais

Como Mudar de Vida: 4 desculpas esfarrapadas que você conta para si mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *