14 Comentários

    1. Fernando Rui

      Oi Philipe,

      Vou fazer um artigo sobre isso, indicando os livros e contando um pouco do conteúdo, ideal princiapal, etc.

      Mas já adiantando! Cito 2 que realmente foram muito bons na minha trajetória:

      Dale Carnegie – Como fazer amigos e Influenciar pessoas
      Tony Robbins – Desperte o gigante interior

      Depois me diga o que achou destes!?

      Grande Abraço,

      Responder
    2. Vanessa Valentim

      Infelizmente, há muita gente que tem preconceito com livros de auto ajuda.
      Existem livros transformadores. São muito importantes para o desenvolvimento pessoal. Adoro esse genero!

      Responder
      1. Fernando Rui

        Verdade Vanessa. Eu sou suspeito para falar mas ao mesmo tempo sou bem crítico. Tem que olhar caso a caso.
        Abração

        Responder
  1. Thiago Henrique

    Fernando, gosto muito de livros de autodesenvolvimento (Auto-Ajuda) e como abordado no artigo essa leitura sofre discriminação, as vezes quem sabe que gosto até tira onda, porém para quem está busca do aperfeiçoamento e autoconhecimento não deve dar atenção aos que não leem nada e “acham”. Abraços

    Responder
    1. Fernando Rui

      Oi Thiago,

      Verdade! Muitos tiram zarro pois não perceber o poder de transformação que uma boa leitura pode fazer! Estou contigo!

      A gente aqui segue evoluindo…

      Grande Abraço,

      Responder
  2. desassossegada

    Muito bom, Fernando! Muitos livros de autoajuda já me ajudaram, assim como li alguns péssimos que não diziam nada de novo ou mesmo coisas com as quais eu não concordei. Basta sabermos pegar para nós aquilo que nos serve e o que não serve deixar para lá, não é? Autoajuda é um gênero como qualquer outro, que contém livros bons e ruins, não entendo o porquê de tanto preconceito! Mas bom saber que há pessoas com cabeça aberta, que não se fecham a possibilidades de boa informação por preconceito ou vergonha.

    Abraços!

    Responder
    1. Fernando Rui

      É exatamente isso que acredito. Concordo 100% com você!

      O importante é o que você disse, escolher o que ser e o que não serve!

      Obrigado pelas palavras.

      Grande Abraço!

      Responder

  3. Olá Fernando.Excelente artigo. Encontrei o seu post após gravar um vídeo sobre o assunto. Então tomei a liberdade de colocar um link no meu site direcionando para este artigo.

    Abraços!

    Responder

    1. Oi Edward, legal cara. Obrigado pela citação… Esse assunto é bem interessante e dá muito o que falar… Vi seu vídeo lá sobre o assunto. Interessante seu argumento. Bora eliminar o preconceito da área…

      Abração!

      Responder
  4. Pedro Pedreiro

    É fato que livro de autoajuda ajuda, mas como o próprio nome diz, ajuda quem escreve, é de autoajuda para o escritor. ao invés de ler esses, tão aclamados livros de autoajuda, por que não ler filosofia, pura ou aplicada?

    Responder
    1. Fernando Rui

      Fala Pedro, obrigado pela contribuição.

      Eu concordo contigo em partes. Há livros que realmente são mais do mesmo, não há dúvida disso. O problema é que quase tudo que é criado nessa área do desenvolvimento humano é chamado de Autoajuda. Entra tudo na mesma categoria e, nesse caso, é complicado afirmar algo assim.

      Prefiro avaliar caso a caso, livro a livro e não julgar a seção aonde o livro se encontra. Faz sentido!?

      Aproveita e me recomenda aí um livro de filosofia que você gostou!? Estou cada vez mais entrando nesse mundo.

      Abração!

      Responder
      1. Pedro Pedreiro

        Concordo, Fernando.
        Tem um livro introdutório chamado “aprender a viver” do Luc Ferry. Muito bom, mas recomendaria mais para uma revisão rápida. Alguns livros que te indico fortemente: Apologia de Sócrates, de Platão; O estrangeiro, de Albert Camus; O existencialismo é um humanismo, de J.P. Sartre; e Crepúsculo dos Ídolos, de F.W. Nietzsche.
        Um abraço!

        Responder
        1. Fernando Rui

          Fala Pedro,

          Que show tuas indicações cara. Tenho muita curiosidade no trabalho do Albert Camus, mas vou anotar todos aqui.

          Obrigado pelas sugestões.

          Abração!

          Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *